Non habemus papam, habemus cinemam!

Michel Piccoli em cena de Habemus Papam, filme de Nanni Moretti, sobre um papa eleito que entra em crise e decide que não pode assumir o papado. O trailer está aqui: http://www.youtube.com/watch?v=Mr8O687r-60
“Deus vê em mim qualidades que não consigo ver, não as tenho. Onde estarão?” Esta é uma fala do filme, que agora já parece profético. No seu discurso final, o papa que desejava ser ator faz um discurso pela renovação da Igreja Católica Apostólica Romana e da fé de seus fiéis. Que seja feita vossa vontade.

Anúncios

Non habemus papam, habemus cinemam!

Um pensamento sobre “Non habemus papam, habemus cinemam!

  1. É impossível mesmo deixar de pensar no filme, mas por outro lado o gesto do papa Ratzinger me parece muito mais calculado do que o do protagonista do filme. Aliás Habemus Papam talvez seja mais um filme sobre psicanálise do que sobre a Igreja. O personagem de Nanni Moretti encontra uma religião verdadeira a partir de uma negação espontânea do seu papel institucional. Já o Ratzinger, seja motivado por esgotamento físico ou estratégia política-teológica (ou os dois) me parece mais preocupado em resguardar as instituições que o filme quer questionar!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s