O abismo

Para saber mais sobre as ideias de Dewey sobre arte e experiência estética, em inglês: http://plato.stanford.edu/entries/dewey-aesthetics/

Para saber mais sobre as ideias de Dewey sobre arte e experiência estética, em inglês: http://plato.stanford.edu/entries/dewey-aesthetics/

Sobre a morte do Cristiano Araújo. John Dewey, Arte como Experiência, p. 63. Nunca antes (soe como frase de efeito, é isso mesmo) a experiência estética social esteve tão dividida no Brasil. E parece que cada vez menos interessados estão os intelectuais em desmistificar a cisão, uma vez que ela lhes protege – mpb x o resto; indústria cultural x arte; jazz genuíno ou chorinho x madonna ou coisa que o valha. As condições que criam o abismo entre produtor e consumidor, entre a experiência social e a experiência supostamente estética genuína, entre o pensamento produzido nas academias e a vida coletiva se instauraram tão fortemente nos meios intelectuais nacionais que a autodenominação “crítica” na maioria das vezes não passa de autoironia. O que faz parte da vida significativa da comunidade? Vemos a outra face da moeda gasta na rinha da pseudo-briga petismo x psdbismo. A adesão infantilizada e caduca a legendas vazias envelhece a juventude e aprisiona os adultos em gaiolas enferrujadas. A morte do ignoto conhecido e idolatrado por milhões é sinal de uma profunda ignorância sobre o país por parte dos próprios brasileiros. Ignorância esta da qual muita gente até mesmo se orgulha. Ignorância esta contra a qual ainda não há um projeto inteligente a contrapor, seja por interesse, desinformação ou incapacidade – mas cada vez mais urgente e necessário torna-se usar a inteligência para identificar e restabelecer a continuidade e anular o isolamento. Dizer apenas “as pessoas vão se arranjando” não basta, a larva tem que morrer, seja para a borboleta voar, seja para alimentar o pássaro.

Anúncios

3 pensamentos sobre “O abismo

  1. Vicente, sinceramente, não pesquei a relação, a não ser muito tangencialmente, com o texto de Giacoia. A metáfora ou analogia visa indicar: o q nos serviu antes não nos serve mais; o novo insurgido precisa amadurecer e evoluir, nem q seja morto para alimentar outras asas. Penso aqui na morte do PT, q há tempos não nos serve, e na inação dos movimentos sociais, q precisam depois de 2013 amadurecer e evoluir politicamente, vez q a direita, com a grana e os media nas mãos, faz isso muito rapidamente. Papo pra manga. Obrigado pela leitura e pela sugestão.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s